Quebra de negócios, despedimentos e apoios insuficientes

A APECATE tem vindo a monitorizar a atividade dos seus associados e, com base no estudo realizado em Agosto, que foi enviado a todos eles, partilhamos aqui alguns resultados.

Quando comparado o período de Março a Julho de 2020, face a 2019, 29% dos nossos associados faturaram ZERO, e 71% tiveram uma quebra igual ou superior a 70%.

Já de Agosto a Dezembro, a maioria dos associados prevê faturar em 2020 apenas 33% do que faturaram o ano passado, em igual período.

Entre Março e Julho, 16% das empresas responderam que dispensaram pessoas, enquanto 84% mantiveram os postos de trabalho. E até ao final do ano mais de metade das empresas tem previsto dispensar pessoas, caso não existam apoios suficientes.

Dos cerca de 2000 freelancers que teriam sido contratados por estas empresas entre Março e Junho, nenhum foi contratado este ano.

E questionados sobre até que mês conseguem pagar os seus custos fixos, com base na tesouraria atual, 61% dos associados responderam que só aguentarão até Dezembro.

Dos 3200 eventos realizados por estas empresas entre Março e Julho de 2019, este ano passou-se para os 245, sendo que a maioria foram virtuais, e com margens muito menores.

Já no período de Agosto a Dezembro, a quebra é de 5900 em 2019 para 284 previstos, em 2020.

Finalmente, questionados sobre as novas medidas apresentadas a 1 de Agosto, 100% dos nossos associados consideram que são insuficientes para manter os postos de trabalho e a atividade.

About the Author

By secretariado / Administrator, bbp_keymaster

Follow secretariado
on Set 07, 2020