Quando se cria um novo sector de actividade económica, é expectável que lhe correspondam novas exigências profissionais que podem ou não traduzir-se em novas qualificações.

Desde o início do trabalho associativo no sector, foi consensual entre os empresários de animação turística a necessidade de se criar uma formação integrada (nas áreas técnica, turística e comportamental) para os profissionais que operam com actividades de Turismo de Ar Livre.

Corria o ano de 2000 quando apresentámos a nossa primeira proposta sobre esta matéria às tutelas do Turismo, do Ambiente e do Desporto.

Em 2006, percebemos que, afinal, não estávamos sozinhos nesta luta que parecia não chegar nunca a bom porto: na Europa sentia-se a mesma carência. Fomos convidados a participar e integrámos a equipa pioneira do primeiro projecto europeu que teve como objectivo a criação de um perfil comum de competências para o que se convencionou chamar de Outdoor Animator e que optámos por traduzir por Técnico de Turismo de Ar Livre.

Desenvolveram-se, então, dois processos em paralelo com vários momentos de convergência:

  • com os nossos colegas europeus, participámos em três projectos do Programa Leonardo da Vinci (EQFOA,CLO2 e ELESA), que tiveram como resultado final a criação de um Manual de Formação para os outdoor animators;
  • internamente, concebemos a nova qualificação de Técnico especialista em Turismo de Ar Livre, nível 5, que foi aprovada pela ANQEP e publicada, em 2013, no Catálogo Nacional de Qualificações. Esta nova qualificação, que dá corpo a um CET – Curso de Especialização Tecnológica, foi integralmente desenhada, no que respeita à componente tecnológica específica, por empresários-formadores associados da APECATE.

Em seguida, em parceria com o Turismo de Portugal, IP, acompanhámos uma experiência-piloto deste CET em Turismo de Ar Livre, nas escolas de Turismo e Hotelaria de Coimbra e de Setúbal, de onde saíram as primeiras “fornadas” de técnicos de turismo de ar livre.

Mantém-se ainda por resolver, a nosso ver inexplicavelmente, a operacionalização do processo de RVCC para este CET em Turismo de Ar Livre.

A APECATE continua a trabalhar para que esta qualificação seja acessível a todos os profissionais no activo que pretendam aceder-lhe. É fulcral para o sector, de elementar justiça para os técnicos do sector e, o que é muito importante, condição para a aplicação, a estes profissionais, da Directiva europeia relativa ao reconhecimento das qualificações profissionais (Directiva 2005/36/CE de 7 de Setembro de 2005).

Informação complementar

Europoean LEarning Syllabus for outdoor Animators (ELESA)

Referenciais da Qualificação –  Técnico/a Especialista em Turismo de Ar Livre

Perfil – Técnico/a Especialista em Turismo de Ar Livre

Certificação de activos em Turismo de Ar Livre – RVCC ou reconhecimento APECATE?, Revista Outdoor Abril_Maio_Junho 2013

Plano de formação de activos – Turismo de Ar Livre , Revista Outdoor Setembro_Outubro 2012

Turismo de Ar Livre – Nova qualificação profissional, Revista Outdoor Julho_Agosto 2012

Informação da DGERT sobre o reconhecimento das qualificações profissionais no espaço europeu

Seja nosso Associado!

Saber Mais

Precisa de Ajuda?

Temos um formulário, para o ajudar a resolver problemas!

Pedir Ajuda

Encontre os Associados

Ver todos os Associados


  • Qual o Tipo de Atividade que procura?