APECATE divulga o programa final e oradores do 6º Congresso

Em contagem decrescente para a realização do seu 6º Congresso, que terá lugar nos próximos dias 31 de Janeiro, 1 e 2 de Fevereiro, a APECATE anuncia o programa final e os oradores que darão corpo a este fórum empresarial.

O Hotel Montebelo, em Viseu, será o anfitrião deste encontro que se inicia na tarde de 4ª feira, 31. A Sessão de Abertura contará com as intervenções de António Marques Vidal, Presidente da Direcção da APECATE, Pedro Machado, Presidente da ERT Centro de Portugal, Ana Mendes Godinho, Secretária de Estado do Turismo e António Almeida Henriques, Presidente da Câmara Municipal de Viseu.

Os trabalhos terão início na manhã de quinta-feira e arrancarão com um Painel especificamente dedicado aos desafios colocadas pelo renascimento das zonas mais afectadas pelos incêndios do verão e outono de 2017. Estarão sobre a mesa linhas de financiamento, projectos e acções inovadoras, apresentados, respectivamente, por Rita Lavado em representação do Turismo de Portugal, IP., Pedro Pedrosa, operador de turismo activo e membro da Associação de Moradores da Ferraria de São João, e Cláudia Caetano, da secção de Animação Turística da APECATE. O moderador será Nuno Avelar de Sousa (APECATE).

O 2º Painel vai reunir, em mesa redonda, representantes das principais associações sectoriais do Turismo, em torno de uma matéria que se afigura cada vez mais pertinente: de que forma podem as associações empresariais contribuir para uma melhor articulação entre agentes económicos complementares na criação de produtos e na consolidação do destino? Como avaliam as sinergias já existentes entre os subsectores que representam? De que forma podem contribuir para vencer preconceitos e promover uma cultura de funcionamento em rede? Serão participantes nesta mesa redonda: Eduardo Miranda (ALEP), Jorge Loureiro (AHRESP), Paula Antunes (APAVT), Raul Ribeiro Ferreira (ADHP), José Arimateia (AHP) e António Marques Vidal (APECATE).

No 3º Painel, sobre o tema incontornável dos múltiplos caminhos necessários à Internacionalização, Miguel Barbosa vai apresentar o fundo de investimento em startups portuguesas “Portugal Ventures”, Jose Garcia Aguarod, da Eventoplus, partilhará connosco a sua experiência na organização, comunicação e promoção na área dos eventos e um representante do Turismo de Portugal, IP., apresentará os objectivos das duas novas plataformas de promoção turística no mercado externo: Portuguese Trails, dedicada a dois produtos de turismo de ar livre, o walking e o cycling; e Meetings in Portugal, vocacionado para a afirmação de Portugal como destino privilegiado para a realização de Eventos e Congressos. Será moderador do Painel, Vasco de Noronha (APECATE)

O 4º Painel, que encerra o primeiro conjunto de sessões de trabalho, é constituído por dois workshops sectoriais que funcionarão em simultâneo.

Os congressistas que optarem pela área dos eventos e congressos terão oportunidade de conhecer e debater, com Maarten Schram (LiveCom Alliance) e Ana Fernandes (APECATE), o primeiro Código de Ética europeu, proposto pela associação LiveCom Alliance.

Na sessão dedicada à Animação Turística, estarão em discussão temas relacionados com a definição de competências profissionais no campo do Turismo Cultural e do Turismo de Ar Livre, dinamizados, respectivamente, por Catarina Valença (Spira) e Paulo Rocha (Cumes); como corolário deste tema, Sandra Dias (formadora) apresentará uma síntese da metodologia em vigor para os processos de RVCC (Reconhecimento e Validação e Certificação de Competências), tendo como horizonte a abertura deste processo às já reconhecidas qualificações profissionais de nível 5 destas duas áreas. Será Paulo Lopes (APECATE) o moderador desta sessão de trabalho.

No 2º dia, o 5º Painel versará o tema da Qualificação e Certificação, em duas perspectivas distintas mas indissociáveis: a qualificação do recursos humanos, questionando-se a adequação ou não dos métodos e conteúdos da formação profissional em vigor às exigências do mercado; e as novas realidades da avaliação das empresas por redes sociais e plataformas como a Booking ou o Tripadvisor, versus as diversas certificações de qualidade que, até há bem pouco tempo, eram as únicas grandes sinalizadoras para o mercado da qualidade dos serviços prestados. Serão oradores deste painel Paulo Gomes (SGS), Pedro Rodrigues (Desafio Global) e Cláudia Caetano (Equinócio). O debate, que se espera amplamente participado por todos os formadores e empresários presentes, será moderado por Rui Ochôa (Eventpoint).

O 6º Painel será o coroamento dos temas anteriores. Num frente a frente, garantidamente animado e interessante entre dois ex-secretários de Estado, Adolfo Mesquita Nunes e João Vasconcelos, pretende-se recentrar a grande questão que motivou e inspirou estes dois dias de reflexão: como potenciar Portugal como primeiro destino mundial. Como antecipar e preparar o futuro? Os empresários do sector em Portugal estão a seguir o caminho certo para serem competitivos neste futuro? As políticas públicas referentes à fiscalidade, ao trabalho, à promoção e à formação, entravam o sector ou tendem a libertar as suas potencialidades? Qual o papel do Estado nesta actividade económica que se revela, cada vez mais, um sólido alicerce do desenvolvimento económico nacional? Será Ana Barbosa (APECATE) a moderadora deste último Painel.

Na sessão de encerramento, para além dos presidentes da APECATE, da ERT Centro e da CM de Viseu, terá a palavra Francisco Calheiros, Presidente da CTP.

Para mais informações sobre o programa aceder aqui.

Para inscrições aceder aqui.

VI Congresso APECATE

Adolfo Mesquita Nunes e João Vasconcelos, Ex Secretários de Estado, são presenças confirmadas no VI Congresso APECATE, no Painel 6, do dia 2 de Fevereiro, às 15h30, com o tema “Estruturar o sector – Como potenciar a nomeação de Portugal como melhor destino do mundo?

Com a evolução acelerada do mundo contemporâneo, que implica, entre outros aspectos, novas tecnologias aplicadas às experiências turísticas, mas também novos interesses, preferências e exigências por parte dos utilizadores, como antecipar e preparar o futuro?

Os empresários do sector em Portugal, nomeadamente nas áreas da animação turística e da organização de eventos e congressos, estão a seguir o caminho certo para serem competitivos neste futuro?

As políticas públicas referentes à fiscalidade, ao trabalho, à promoção e à formação, entravam o sector ou tendem a libertar as suas potencialidades? Qual o papel do Estado nesta actividade económica que se revela cada vez mais, um sólido alicerce do desenvolvimento económico nacional assente em recursos não deslocalizáveis?

Venha assistir a este debate de ideias.

O VI Congresso da APECATE realiza-se nos dias 31 de Janeiro, 1 e 2 de Fevereiro, no Montebelo Viseu Congress Hotel, em Viseu.

Para inscrições, aceda aqui.

Para mais informações sobre o programa consulte aqui.

APECATE anuncia o programa do 6º Congresso

A APECATE está a organizar o seu 6º Congresso, que se realiza nos dias 31 de Janeiro, 1 e 2 de Fevereiro, no Montebelo Viseu Congress Hotel, em Viseu, e que apresenta como tema central “Portugal Melhor Destino Mundial – Como Potenciar?”, por se considerar ser uma temática bastante actual.

Após tantos anos de trabalho árduo, de todos os intervenientes no turismo, conseguiu alcançar-se o primeiro lugar, destacando, assim, Portugal como melhor destino mundial. Não obstante esta distinção, o grande desafio é como manter essa posição.

Neste âmbito, o programa do Congresso foi dividido em seis painéis temáticos:

  • Painel 1 | Região Centro – Os grandes desafios: reflexões sobre como desenvolver
    Este Painel, dedicado à reflexão sobre a recuperação das zonas da Região Centro mais afectadas pelos incêndios de 2017, vai dar a palavra a várias iniciativas em curso, desde os fundos disponíveis aos testemunhos empresariais, tendo como pano de fundo as importantes questões do ordenamento do território. A questão é complexa e deve ser tratada como tal: como contribuir para o renascimento da vida e da atracção desta parte da Região, transformando o que foi trágico em oportunidade de inovação.
  • Painel 2 | Criar destino – Como articular sinergias
    Um dos factores identificados como determinantes para a estruturação do sector turístico é a construção de produtos em rede, onde todos os intervenientes se articulam para construir uma oferta mais qualificada e diferenciadora. Neste Painel, uma mesa-redonda que juntará os responsáveis por várias associações sectoriais, estarão em debate diversas questões, a partir das duas a lançar como motor de arranque: O que é que as associações do sector podem fazer para aumentar e potenciar as sinergias? O seu conhecimento diz-lhes que as empresas já constroem produtos integrados ou ainda existem constrangimentos e preconceitos a vencer? Operadores turísticos, empresas de animação turística, unidades de alojamento, restaurantes, que caminhos para um diálogo mais efectivo?
  • Painel 3 | Internacionalização – O caminho imprescindível
    A conquista do mercado externo é essencial para o sector. Como criar eventos marcantes? Como chegar aos operadores estrangeiros? Em que meios apostar para a promoção? Qual deve ser o papel das entidades públicas? De que forma está a ser realizada a articulação do público e do privado nas plataformas de promoção? Como estão a ser avaliados os resultados da acção desenvolvida aos níveis regional e nacional?
  • Painel 4 | Workshops sectoriais
    Nestes workshops temáticos, serão abordados dois temas: na área dos Congressos e Eventos, o Código de Ética; na área da Animação Turística, o processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) e as qualificações profissionais de Turismo de Ar Livre e Turismo Cultural.
  • Painel 5 | Qualificação e certificação – Mudar de paradigma?
    Face à existência de vários processos de formação e de avaliação das empresas, ganham importância crescente algumas questões. De que falamos quando afirmamos a necessidade de formação de recursos humanos? As qualificações existentes dão resposta às necessidades deste sector tão transversal? Serão as normas e os selos de qualidade uma ferramenta imprescindível para a diferenciação num mercado cada vez mais competitivo e globalizado? Com as plataformas e as possibilidades de o cliente se expressar directamente, estamos a caminhar para uma crise dos sistemas de qualidade como factores de diferenciação ou, pelo contrário, eles continuam a ser uma arma poderosa de melhoria, afirmação e desenvolvimento das empresas?
  • Painel 6 | Estruturar o sector – Como potenciar a nomeação de Portugal como primeiro destino mundial?
    Com a evolução acelerada do mundo contemporâneo, que implica, entre outros aspectos, novas tecnologias aplicadas às experiências turísticas, mas também novos interesses, preferências e exigências por parte dos utilizadores, como antecipar e preparar o futuro?
    Os empresários do sector em Portugal, nomeadamente nas áreas da animação turística e da organização de eventos e congressos, estão a seguir o caminho certo para serem competitivos neste futuro?
    As políticas públicas referentes à fiscalidade, ao trabalho, à promoção e à formação, entravam o sector ou tendem a libertar as suas potencialidades? Qual o papel do Estado nesta actividade económica que se revela cada vez mais, um sólido alicerce do desenvolvimento económico nacional ?

Para mais informações sobre o programa aceda aqui.

VI CONGRESSO DA APECATE

É já nos dias 31 de Janeiro, 1 e 2 de Fevereiro, que a APECATE, vai realizar o seu VI Congresso. O tema deste ano é Portugal Melhor Destino Mundial – Como Potenciar?

Este é uma temática actual. Após anos de trabalho de todos os intervenientes no turismo conseguimos chegar ao primeiro lugar. Já somos o melhor destino mundial, mas o grande desafio é como continuar a manter essa posição.

O nosso VI Congresso vai abordar várias temáticas do sector dos Eventos, Congressos e Animação Turística, reflectindo sobre como vamos potenciar e desenvolver para manter a posição de liderança. O que já conseguimos, o que é necessário continuar a trabalhar, que novas correntes e ideias poderemos trazer ao sector?

Aceite este desafio e participe nos dias 31 de Janeiro, 1 e 2 de Fevereiro, em Viseu, no nosso VI Congresso.