5º Congresso Nacional da APECATE | Évora | 2 a 4 de Fevereiro de 2017

Próximo desafio: 5º Congresso da APECATE

“Estruturar Negócio para Potenciar o Crescimento” é o tema escolhido para o 5º Congresso da APECATE, que vai decorrer em Évora, de 2 a 4 de Fevereiro do próximo ano. Depois do 4º Congresso com o tema “Captar Negócio”, ficou expresso que seria muito importante trabalhar na continuação da estruturação do sector para podermos desenvolver melhor o nosso trabalho.

Muito já foi feito, mas muito ainda falta fazer. Sabemos que é um caminho longo, nem sempre rápido, mas onde é importante partilhar os êxitos e enfrentar os problemas.

O turismo, e em especial a área dos Congressos, Eventos e Animação Turística, têm vindo a desenvolver‑se nos últimos anos criando mais valor para o sector, demonstrando que são muito importantes para a captação e manutenção dos turistas em Portugal.

Este desenvolvimento acelerado, com o aparecimento de novos projectos e programas, está a colocar desafios ao sector público, revelando problemas e questionando soluções.

Porquê estruturar? Depois de nos últimos dez anos termos vindo a sofrer uma evolução positiva, quer no turismo, quer nas várias áreas que interagem com o sector, é importante continuar a discussão de como tudo se deve organizar, protegendo os valores da sociedade, sem impedir o crescimento sustentado.

O actual bom desempenho do turismo é uma consequência directa das intervenções potenciadoras que têm vindo a ser realizadas, incidindo nas áreas legislativa, na formação, na qualificação, no ordenamento, na internacionalização, entre outras. No entanto, quanto mais se desenvolvem as questões, mais um projecto que englobe as várias dimensões, estruturado, coerente e global, se torna imprescindível.

Não podemos ir resolvendo as questões de uma maneira aleatória e casuística, tentando resolver um único problema, sem perceber quais as implicações e os impactos em todos os sectores. Para encontrar as melhores soluções é importante ouvir todos os intervenientes, com especial destaque para os profissionais do sector, que trabalham todos os dias para encontrar novas propostas e soluções. Sabemos que uma linha que nos une a todos é o desejo de simplificação a todos os níveis, facilitando o desenvolvimento de todos os sectores que interagem com o turismo.

É este o objetivo do 5º Congresso, aprofundar a discussão em torno destes temas, fundamentais para estruturar o crescimento.

O Ordenamento é um dos principais pilares da estruturação sendo por isso abordado em dois painéis. O primeiro é sobre o usufruto do espaço público, como se faz o acesso aos espaços: as cidades, as zonas ambientalmente sensíveis, os espaços de cultura, as praias e outros; de que forma o ordenamento tem em consideração as novas actividades e negócios; como se preserva a cultura e as tradições sem interferir com o crescimento; entre outros. O segundo painel abordará a gestão dos espaços, ainda muito conservadora, esquecendo‑se que hoje a gestão das áreas tem de ser feita a pensar na captação dos utentes, na preservação e no desenvolvimento. Os locais onde as pessoas não deixam de ser cuidadas e valorizadas. A gestão tem de ser clara e explicada a quem dela quer usufruir, sem exclusividades ou direitos corporativos que impeçam o desenvolvimento. O património é um bem comum, como cuidar dele? Quem estabelece as regras, o que já se fez e o que se pensa fazer para abrir o seu usufruto à comunidade e às empresas?

Como novidade vamos introduzir um tema “Desafio”, e o deste 5º Congresso será sobre o Turismo Cultural e as suas implicações. É importante lançar o debate sobre este tema em específico, falando sobre os novos programas, o usufruto do património, a formação, a divulgação e outras perspectivas, fazendo uma discussão sobre como queremos desenvolver mais e melhor esta área da animação turística.

A Formação é outras das áreas estruturantes que vamos debater, desde formação inicial, qualificação, certificação, à formação dos recursos humanos e à transposição das directivas europeias. O que impede o reconhecimento dos activos? Como podemos ver reconhecidas as nossas certificações na Europa? Qual é a oferta formativa? Será que esta responde às reais necessidades do sector? Estas e outras perguntas vão ser debatidas pelos nossos convidados.

Para completar o nosso objetivo de estruturar o sector, não poderíamos deixar de abordar a internacionalização e captação de eventos, cada vez mais importantes para que este sector continue a marcar a diferença. Como devemos falar com os potenciais clientes, quais os eventos que devemos captar, como fazer a nossa promoção externa?

Por fim, vamos aprofundar o conhecimento sobre as novas tecnologias e como estas podem servir para melhorar os serviços e as propostas aos clientes, acrescentando mais valor, apresentando casos reais e soluções tecnológicas criadas.

Achamos que será mais um congresso desafiante que não convém perder. Esperamos por si em Évora.

Até lá.

António Marques Vidal
Presidente da Direcção da APECATE